Gravidez a Bordo

Abril 2019

Estávamos despedindo de queridos hospedes nas Ilhas Virgens, quando sentia um enjoo constante! Então resolvemos navegar até a cidade mais próxima, que teria uma farmácia disponível para comprar um teste de gravidez, pois estava tudo muito suspeito.

Depois de fazermos 3 testes, conseguimos finalmente acreditar que mais um tripulante estava por vir! Que emoção!

Nossos planos teriam que mudar um pouco... Tinhamos que pensar em ficar bem calminhos durante a gravidez, e principalmente no primeiro ano desse neném. 

Decidimos tirar alguns dias para instalar nossas placas solares, assim ficaríamos em uma marina para ver se esse enjoo todo melhorava, e pensaríamos um pouco sobre nosso futuro. O local escolhido foi St Marteen, já que ali tinha boa mão de obra para nossa estrutura de inox e nossas placas. Estávamos animados com essa nova fase do Beluga.

Da ilha de Tortola até St Marteen demoraria cerca de 1 dia inteiro. Escolhemos o dia com menos vento e com o mar mais calmo pois o vento no Caribe vem do Leste, e era para o Leste que devíamos navegar, ou seja, quando o vento vem da frente (proa) do barco, não temos angulo de velejada, então o melhor mesmo é utilizar o motor. E assim fomos, em uma navegada deliciosa, com um mar tão calmo que dava para ver o reflexo as estrelas.

Quando chegamos em St MArteen, entremos em Simpson Bay, uma lagoa bem abrigada, onde atracaríamos o Beluga em uma Marina "de serviços". Eu acreditava que os enjoos iam melhorar dentro de uma marina, mas acontece que só piorou, pois não havia muita circulação de ar, e também porque o enjoo de fato nada tinha a ver com o barco ou com navegar, e sim com o inicio da gravidez.

Bom, dia após dia, focamos na instalação da estrutura e das Placas. Foi bem legal acompanhar esse trabalho incrível que fizeram no nosso Catamaran.

Na semana que ficamos nesta ilha, ficamos mais próximos de uma familia sueca muito bacana! o Barco deles era igualzinho ao nosso e se chama Bay dreamer. Eles, o Daniel e a Ana, já tinham navegado da Europa até a Indochina, por alguns bons anos, e nesse meio tempo tiveram uma menininha que tivemos a sorte de conhecer, já com seus 3 aninhos. Agora estavam na espera do quarto tripulante, que estava a um mês de nascer. Então fizemos inúmeras perguntas a eles, e a Ana nos ajudou a indicar um bom hospital para fazermos nosso primeiro ultrassom!

E lá fomos nós, no nosso botinho, para a primeira consulta medica da gravidez.

Conseguimos escutar o coração bater, foi muito emocionante. E riamos muito ao voltar de bote em um trajeto de uns 15 minutos no mais rápido que dava... pensávamos que devia ser a única mulher gravida que volta dessa forma de um ultrassom.

..

.